Poetguese


POETGUESE: The Utopia For A World Where Words Matter

BY DREW BARTKIEWICZ AND NATALIA PARREIRAS RUBRA

Every now and then a book appears from the least suspecting of places, in the hearts and minds of young people where the innocent soul knows most naturally the language of poetry. In late 2013 and across the vast landscape of Brazil a movement—not a revolution—was started, a Utopia of sorts, where the words of young writers would shine light on a new medium for personal letters. Without ever formally organizing as official “poets” these eager children wrote on their computers and mobile devices with such beauty, longing, and passion that they showed us what the future holds for lasting words in a digital age. This first-ever work is a digital-to-physical compilation of a no grander mission than to share words we always hoped and dreamed that kids today could write. By reading this book you may learn not only something about the depth and brilliance of young Brazilian poets but you may discover that magical place inside your heart where words actually spoke a different language. Poetry is not dead; it is simply about to be reinvented for the next generation of letter writers and perhaps the poet in all of us.
 
De vez em quando, de onde menos se espera, surge um livro: No coração e nas mentes de jovens de alma inocente que conhecem espontaneamente a linguagem da poesia. No final de 2013, em meio ao vasto território brasileiro, começou um movimento—não uma revolução—mas uma Utopia, em que as palavras de jovens escritores brilharam em uma nova mídia de cartas pessoais. Mesmo sem se organizarem formalmente como “sociedade de poetas”, esses jovens escreveram em seus computadores e celulares com tanta beleza, ânsia e paixão, que nos provaram que sim, o futuro nos reserva palavras duradoras na era digital. Este trabalho inédito é uma compilação física que vem da esfera digital com a nobre missão de compartilhar palavras que esperávamos e sonhávamos que os jovens de hoje pudessem escrever. Ao ler este livro, poderão descobrir algo não só sobre a profundidade e esplendor desses poetas brasileiros, mas também um lugar mágico em seu coração, onde as palavras ganham um novo significado. A poesia jamais morreu: está sempre esperando por ser reinventada em uma próxima geração de leitores de cartas e, talvez, pelo  poeta que existe em cada um de nós.